/pt/irma/493/declaraasectapoundouniversaldosdireitoshumanos
Congregação das Irmãs de São José de Chambéry | Comissões Internacionais

Choose your language:


  • Comissões Internacionais

    19 de Dez, 2017

    Declaração Universal dos Direitos Humanos

     Em 11 de dezembro, eu estava na ONU, em Nova York, para o início de uma campanha de um ano para marcar o 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que foi assinada em Paris em 10 de dezembro de 1948. O programa na ONU atraiu uma grande multidão que ouviu o Sr. António Guterrres, Secretário-Geral das Nações Unidas, e o Sr. Miroslav Laj&269;ák, Presidente da Assembléia Geral, enfatizarem o progresso que fizemos na área dos direitos humanos, sem esquecer os abusos que continuam. É essencial continuar nosso trabalho para ver que todos tenham seus direitos: político, social, econômico e cultural, respeitados, pois a paz e a segurança estão enraizadas nisso. Portanto, não é surpreendente que os direitos humanos sejam integrados em todo o trabalho das Nações Unidas. Todos os seis oradores pediram a todos que defendessem os direitos dos outros todos os dias, em todas as circunstâncias. Um ex-Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos também lembrou aos reunidos da situação dos refugiados hoje e falou sobre a necessidade de uma boa política migratória para garantir seus direitos.
     
    A Declaração Universal sobre os Direitos Humanos continua a ser tão válida e poderosa hoje como em 1948. É o documento mais traduzido do mundo e precisa ser parte da educação de todas as crianças. Os seus 30 artigos ainda abordam os direitos fundamentais de todas as pessoas. E eu aprendi com o programa que foi uma mulher, Eleanor Roosevelt, que foi a força motriz por trás disso. Foi um programa que abriu meus olhos para como eu poderia ser uma força para o avanço dos direitos humanos.
     
    -  Barbara Bozak
     

    Envie Seu Comentário!




    Compartilhe esta notícia:

    Campos preenchidos com são de preenchimento obrigatório