• Testemunhos

    26 de Mai, 2017

    Ir. Maria de Lourdes Savio


     Ir. Maria de Lourdes Savio nasceu aos 18 de outubro de 1921, em Campo Largo, interior do estado do Paraná. Desde criança cultivava no coração o desejo de ser toda para Deus, sem saber como, quando ou onde. Perdeu a mãe aos nove anos e no decorrer da vida foi descobrindo a missão que o Senhor lhe reservava. Conheceu as Irmãs de São José no colégio interno em Curitiba, e aos 14 anos, entrou no Postulantado. 
     
    Em 1936, já noviça, durante uma visita da Superiora Geral ao Brasil, Ir. Maria de Lourdes, recebeu o dom da missionariedade. Foi escolhida para servir a Congregação na França. Como noviça, aos 15 anos, deixou a pátria, a família, as coirmãs. Tinha consciência de que deixava tudo, dando um passo mais fundo, decisivo, na entrega de sua vida a Deus. Viveu seus primeiros anos na França, em Moutiers – Tarentaise. Sofreu muito, pois foi uma mudança radical de vida.
     
    Aos 16 anos, oficializou sua entrega a Deus, missionária do Reino, a serviço da pessoa humana. Dos 17 aos 24 anos estudou, realizou trabalhos artísticos e se aperfeiçoou em línguas. Durante a Segunda Guerra Mundial, viveu uma experiência de muito medo, angústia, fome, frio, neve e gelo. Os constantes bombardeios obrigavam as pessoas a buscarem os abrigos a qualquer hora do dia ou da noite, deixando-as sempre em estado de tensão.
     
    Experienciou, também, a solidariedade da aproximação, causada pelo mesmo sofrimento que todos viviam: o reconforto de salvar vidas, abrigando e escondendo senhoras judias, a partilha do pouquíssimo alimento que recebiam e, principalmente, a força da vida para conseguir resistir a tanto sofrimento. Acrescia-se, às vezes, o sofrimento das lembranças da pátria distante: a morte da mãe, o segundo casamento do pai e as saudades da família, da qual ficou sem nenhuma comunicação durante os cinco anos da Segunda Guerra.
     
    Dos 25 aos 32 anos, devido a uma tuberculose óssea, consequência dos sofrimentos da guerra, viveu “sete anos” de imobilização no gesso e no plano horizontal rígido. O ano de 1954 foi um ano de recuperação e fisioterapia. Em outubro desse mesmo ano, fez parte da comunidade da Casa Geral e assumiu a direção do Instituto Pomponiana para deficientes físicos e motores. Em 1956, fez curso de enfermagem e pós-graduação de supervisora geral para estabelecimentos hospitalares.
     
    No ano de 1972, atravessou o oceano, voltando para sua Província de origem, em Curitiba. Foi Superiora Provincial por dois mandatos e após esse período passou a dedicar-se à missão que até hoje desempenha: a formação da pessoa humana, buscando sempre um aprofundamento nos campos das ciências humanas, como a Psicologia. Este ano de 2017, celebra seus 80 anos de Consagração ao Senhor.
     




    Compartilhe:


    Envie seu comentário!

    *Campos marcados com  barra são de preenchimento obrigatório.