• Comissões Internacionais

    03 de Mai, 2013

    Defesa da Terra para os Povos Ribeirinhos


    Em retrospectiva, Ir. Elenice Buoro, Província de São Paulo, faz a releitura da missão desenvolvida nos anos de19 80 e que foi um sinal de luta por vida, justiça e paz. Segue a narrativa:

    “O pequeno povoado de São José dos Bandeirantes, à beira do rio Araguaia, rio que separa os Estados de Goiás e Mato Grosso, no centro-oeste do Brasil, começou a ser descoberto como lugar de turismo por causa das suas belíssimas praias fluviais. Esta vila, distante e isolada, era apenas lugar dos povos ribeirinhos, como é chamada a população que reside nas proximidades de rios e que sobrevivem da pesca e da agricultura familiar. Com a chegada dos turistas, as terras, na maioria ainda não legalizadas, começaram a ser objeto de cobiça. Pessoas ambiciosas e conhecedoras das leis forjaram documentos das terras habitadas pelos pobres ribeirinhos como se fossem eles os donos, ou seja, fizeram um roubo de terras através do cartório. Os ribeirinhos, que habitavam essa área por décadas, foram surpreendidos com a má notícia de que os turistas se tornaram os ‘donos’ de suas terras, da lavoura de onde provinha sua sobrevivência.

    Havia em Bandeirantes uma comunidade nossa, de Irmãs de São José. Diante desta situação, Ir. Júlia Cordeiro e eu começamos a conscientizar os ribeirinhos, reunindo-os e despertando-os para a defesa de seus direitos. Acostumados a rezar diante das necessidades prementes, os camponeses foram chamados a iluminar essa situação com a Palavra de Deus. O texto da vinha de Nabot (1Reis 21,1-25) se ajustou nesta realidade de usurpação de terras, e o grupo se fortaleceu nos passos da resistência.

    Nós, Irmãs, acionamos a Comissão de Justiça e Paz da Diocese e colocamos os ribeirinhos em contato com profissionais do Direito. Por várias vezes os acompanhamos até a cidade onde acontecia a sua defesa, cerca de três horas de distância. Vários processos correram por anos. Muitos obstáculos dificultaram a luta, mas os ribeirinhos não desistiram até reconquistarem o seu direito às terras usurpadas."
     




    Compartilhe:


    Envie seu comentário!

    *Campos marcados com  barra são de preenchimento obrigatório.
    Leia também:
  • 05 de Out, 2018

    Trabalhadores Migrantes: Uma Experiência Ásia-Pacífico


    A recente Conferência Regional sobre Trabalhadores Migrantes com realidades asiáticas foi a terceira na série de reuniões que trataram das questões ... leia +
  • 19 de Ago, 2018

    Declaração como Corpo Congregacional sobre a Nicaragua


      Condenar a violência em curso na Nicarágua Solidariedade e Desejos de Paz na Nicarágua. Nos últimos meses o povo da Nicarágua tem sido ví... leia +
  • 11 de Ago, 2018

    Encontro Internacional da Comissão de Comunicação


    Comunciadoras de Esperança Profética  A Comissão Internacional de Comunicação da Congregação está reunida em Garibaldi de 08 a 13 de agosto para o ... leia +
  • 24 de Jun, 2018

    PROJARI, uma experiência de comunicação construtora da paz


     A Associação Beneficente São José, entidade das Irmãs de São José, através do projeto PROJARI, desenvolvido há 31 anos na cidade de Guaíba-RS/Brasil,... leia +
  • 03 de Abr, 2018

    Diálogo Internacional sobre Migração


     Os Estados membros das Nações Unidas têm estado em conversações e negociações recentes sobre o Pacto Global para uma Migração Segura, Ordenada e Regu... leia +
  • 28 de Fev, 2018

    Pobreza multidimensional abordada na ONU


     Com o foco no SDG 1 (Fim da pobreza em todas as suas formas em todos os lugares), o tema da 56ª Comissão de Desenvolvimento Social deste ano (29 de j... leia +
  • 19 de Dez, 2017

    Declaração Universal dos Direitos Humanos


     Em 11 de dezembro, eu estava na ONU, em Nova York, para o início de uma campanha de um ano para marcar o 70º aniversário da Declaração Universal dos ... leia +
  • 20 de Nov, 2017

    Migrantes e a ONU


     Durante a minha presença mais recente na ONU, em Nova York, em 2 de novembro, ouvi o Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados dirigir-se ... leia +
  • 19 de Out, 2017

    CARTA ABERTA


     CARTA ABERTA DA CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS DE SÃO JOSÉ DE CHAMBÉRY   “Justiça e Paz se abraçarão” (Sl 85,11). “Eu vim para que todos/... leia +
  • 27 de Abr, 2017

    JPIC: Pinta-nos com a cor da carne


     O ser humano que somos é a revelação de Deus a ser descoberta e construída. Ele se encarna para que o nosso corpo assuma a cor de Sua carne, que noss... leia +