• Comissões Internacionais

    03 de Jun, 2013

    A serviço da Vida


    Revendo toda a minha caminhada de Vida Religiosa Consagrada, o que mais me chama a atenção no nosso Carisma e é marcante na missão que vivencio são a unidade, a simplicidade, o amor, a confiança e a entreajuda. Essas características fazem-me sentir a vida do outro e a agir por amor e com ternura, para que o outro se sinta feliz e esteja bem. Faz com que não se renuncie a nenhum auxílio solicitado, pois o carisma coloca-me sempre a serviço da vida.

    Acredito que em minha missão, o trabalho pela Justiça e Paz é desencadeado pela certeza de que qualquer pessoa tem capacidade de cuidar e de proteger a vida. Em cada pessoa com quem trabalho, percebo que ela vive um processo de reconhecimento do ser pessoa, dos valores, dos dons e potenciais humanos. Neste contexto, procuro mostrar que, mesmo com todas as dificuldades existentes na vida, é possível ajudar-se mutuamente e trabalhar pelo bem comum. Com alegria e confiança enfrento limitações e sacrifícios necessários e dedico-me a qualquer tipo de serviço, desde que esteja a serviço da vida. Alimentada pela nossa espiritualidade, procuro estar a serviço dos mais pobres e escolher sempre o que é correto. A interação, a mútua ajuda, a força da unidade da vida comunitária fazem com que eu seja perseverante na missão e no serviço em favor da vida; é força para estar lá onde Deus quer que eu esteja a serviço da vida.

    Hoje, no meu dia a dia, a atividade concreta é viver a Unidade de maneira silenciosa e aberta a ação de Deus. No contato com as pessoas cultivo uma atitude de escuta atenta, de coração aberto, de diálogo, de renúncia em favor dos mais pobres, daqueles que não têm vez e nem voz, dos que vivem sozinhos, doentes, dos que são insignificantes para a sociedade. Estando junto com os mais pobres, compartilho as fortes experiências de Deus que os mais pobres fazem no seu dia a dia: atitude de escuta e de respeito humano. Sempre provoco para que haja partilha, o cuidado do meio ambiente para que todos tenham a dignidade da vida. É preciso mostrar os valores da vida, e ver de quais as responsabilidades da vida que estão ameaçadas, seja das pessoas, seja da natureza. Para mim a vida deve estar a serviço da vida da maneira mais abrangente possível. Procuro fazer a minha parte sempre me questionando e questionando. A motivação maior de tudo é a luta pela vida.

    Como conclusão: o essencial de tudo é o bem, a vida, a contemplação da presença e da ação de Deus que experimento no contato diário com a natureza, no cuidado, na doação, no encontro com as pessoas, enfim, na rede da vida que nos rodeia e perpassa o mundo todo.

    Irmã Angelina Bortolotto
    Província de Lagoa Vermelha, Brasil




    Compartilhe:


    Envie seu comentário!

    *Campos marcados com  barra são de preenchimento obrigatório.