• Conselho Geral

    31 de Jan, 2017

    EUA: Marchas


     
    Em 21 de janeiro de 2017, no dia seguinte à posse do Presidente Trump nos EUA, as organizações de mulheres obtiveram autorizações para marchas nas principais cidades dos Estados Unidos. Muitas cidades em todo o mundo realizaram marchas semelhantes em apoio às mulheres. Estas marchas não foram manifestações contra o Presidente, mas foram marchas ou comícios para recordar às pessoas oficialmente eleitas, do Presidente aos nossos legisladores estaduais, que ao promulgar leis, as leis devem ser para o benefício de todas as pessoas no nosso país.

    Os manifestantes estavam enviando uma mensagem clara aos funcionários eleitos, de que a linguagem dos últimos 18 meses, durante a campanha para a eleição do presidente dos EUA, tinha que mudar. As pessoas nos Estados Unidos estavam cansadas da retórica divisiva e degradante que alimentava racismo, preconceito e desconfiança um do outro. Eles se manifestaram em apoio aos direitos dos imigrantes, a justiça de gênero, os direitos dos LGBTQ (Lesbicas, Gays, Bissexual, Transgêros e Questionadores), a justiça econômica, a reforma educacional, os direitos das pessoas com deficiência, o apoio e a proteção às vítimas de violência doméstica e do tráfico, a legislação sobre armas de fogo, o respeito a todas as pessoas, independentemente de raça, religião, gênero e orientação sexual.

    Estas marchas tiveram a participação de mulheres, homens, jovens adultos e famílias com crianças pequenas. Os milhões que marcharam enviaram uma mensagem de que quando as leis são consideradas, a dignidade humana e os direitos humanos devem ter precedência sobre a riqueza e o poder.
     
     

    Ir. Sally Hodgdon


    Video CSJ:  https://vimeo.com/201753120

     




    Compartilhe:


    Envie seu comentário!

    *Campos marcados com  barra são de preenchimento obrigatório.