Escolha seu idioma:
Choose your language:
Seleccione su idioma:
Scegli la tua lingua:
Choisissez votre langue:
  • Conselho Amplo 2017

    15 de Mar, 2016

    Boas Festas de São José!


    A festa do nosso Santo Padroeiro sempre cai durante a época da Quaresma. Durante estas seis semanas, as Escrituras falam de conversão e rezamos por nossa transformação pessoal, à medida que decidimos viver o Evangelho com uma fidelidade mais profunda. Ao mesmo tempo estamos comemorando o Ano do Jubileu da Misericórdia.

    Ao refletirmos sobre a fidelidade de São José, nos deparamos com a imagem de um homem íntegro, um homem humilde, aberto e sensível ao movimento de Deus em sua vida. São José estava aberto para viver a graça da transformação pessoal, mesmo que sua vida fosse drasticamente mudada pelo chamado de Deus e pela realidade inesperada em que se encontrava.

    Nós, durante nossa vida, também, vivemos graças que nos transformaram. Mas, Deus continua a desafiar-nos para ir mais fundo, para deixar para trás, cada vez mais, tudo o que é obstáculo para que nos tornemos UM/UMA com Deus, mesmo nas circunstâncias mais difíceis. Um desafio ou obstáculo pode ser a nossa falta de liberdade para receber a graça do perdão que Deus, abundantemente, nos oferece. Outro pode ser a nossa falta de vontade de perdoar a outra pessoa. Um terceiro desafio ou obstáculo, com frequência, é a nossa incapacidade de perdoar a nós mesmos... de perdoar-nos mesmo sabendo que Deus e os outros já nos tenham perdoado há muito tempo.

    Não é esta capacidade de receber, de dar e de viver a misericórdia parte do que significa "ser uma presença profética e dinâmica de reconciliação e de unidade", e de criar um espaço sagrado em que a mudança possa acontecer? (Doc. Final CG 2015) Pelo pouco que sabemos de São José, parece que ele era um homem silencioso, mas era profético na forma como ele vivia a misericórdia e como congregava a todos.

    Como podemos traduzir na nossa vida o modo de ser de São José, quando somos convidadas a responder às mudanças pessoais ou comunitárias? Somos o bastante livres para ser profetas e profetisas que criam espaços de hospitalidade não preconceituosa e de acolhida àqueles/as que buscam a misericórdia?

    Ao renovarmos os Votos e a disposição de seguir nas pegadas de São José para criando espaço para a misericordiosa presença de Jesus, estendemos a cada um/uma nossa gratidão e bênçãos.

    Com carinho,
    Ir. Sally Hodgdon
    Ir. Mariaelena Aceti
    Ir. Ieda Tomazini
    Ir. Philo Pazhuruparambil




    Compartilhe:


    Envie seu comentário!

    *Campos marcados com  barra são de preenchimento obrigatório.